Bancária – ações que visam à revisão de contratos de crédito celebrados com instituições financeiras e com empresas de cartões de crédito; pedidos liminares para exclusão do nome do devedor dos órgãos de proteção ao crédito; revisão dos valores.

Através da ação de revisão de contrato, pode haver a redução dos juros a patamares econômico e socialmente aceitáveis, conforme estabelece a Constituição Federal, o Novo Código Civil, o Código de Defesa do Consumidor e a Lei de Usura. O consumidor pode entrar com uma ação revisional, para que se limite os juros cobrados e assim, através de um cálculo do crédito obtido e dos juros e demais encargos que deveriam ser aplicados e se chegue ao verdadeiro valor do débito, podendo em determinadas situações, haver a quitação do saldo devedor, ou até a devolução dos valores pagos a maior.

Contratos – atividade de consultoria, através da análise de minutas de contratos, para posterior celebração dos mesmos; redação de contratos no âmbito civil e societário; ações judiciais envolvendo a discussão de cláusulas contratuais. Acompanhamento e Assessoria na confecção, assinatura e rescisão de contratos. Elaboração de instrumentos e emissão de pareceres sobre todos os contratos civis, tais como compra e venda, aluguel, etc. Desta forma, se busca a garantia e segurança no momento da contratação, evitando assim transtornos posteriores.

O intenso envolvimento nas negociações e o apurado senso estratégico. A estas qualidades alia-se, ainda, nosso firme propósito de viabilizar e concretizar os negócios almejados por nossos clientes, alertando-os, sempre que necessário, quanto aos eventuais riscos a serem evitados.

Consumidor – litígios envolvendo consumidor e fornecedor, em especial no tocante a cláusulas abusivas, propaganda enganosa, vícios de produtos ou serviços e violação do princípio da boa-fé objetiva.

Responsabilidade Civil – atuação na defesa de interesses vinculados à concessão de indenizações decorrentes da mais variadas fontes, tais como, acidentes de trânsito, acidentes de consumo, acidentes de trabalho, calúnia e difamação. As relações com bancos e instituições financeiras, geram inúmeras situações em que podem ocorrer danos. O cadastramento indevido no SERASA, a devolução imotivada de um cheque, ou ainda a cobrança indevida de valores, são exemplos que podem ocorrer. Estas situações podem causar danos de ordem moral e/ou material.

Os danos serão morais quando houver o constrangimento, como por exemplo, por um cheque ser devolvido sem motivo ou então quando um estabelecimento comercial negar crédito. O dano moral reside no constrangimento a que a pessoa é exposta e no conseqüente sofrimento psicológico que lhe é impingido.

Além dos danos morais, poderá ocorrer a cumulação de danos materiais. Os danos materiais ocorrem quando em função de uma negativa de crédito, por exemplo, a pessoa deixe de realizar uma negociação que lhe traria lucros. Existem diversas situações no nosso dia-a-dia em que somos expostos a danos. Poderá então ser pleiteada indenização, que apesar de não corrigir o mal feito, ao menos ameniza um pouco seus efeitos.

Família e Sucessões – atuação judicial envolvendo casos de divórcio, separação consensuais ou litigiosas, dissolução de união estável, pedido de alimentos, execuções de prestações alimentícias, regulamentação de visitas, inventários, testamentos, elaboração de minuta de pacto antenupcial, etc.

Reais – defesa em ações de desapropriação; atuação em ações judiciais envolvendo usucapião de bens móveis e imóveis; ações envolvendo condomínios; ações envolvendo direitos reais de garantia.